Palavras de uma nova vida


Imaginário

 

Imaginário

Seu vocabulário em meu tom

Imaginário

Seu horário em minha espera

 

Hilário

Sua graça em meu humor

Dicionário

Suas palavras em minha boca

 

Vocabulário

Suas gírias em minha escrita

Horário

Suas espera em minhas linhas.

 

Relicário

Te adorar em segredo

 

Imaginário

Você em mim



Escrito por Iuri às 19h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Justificação

 

Seria tão mais fácil se arrumarmos justificativas para tudo e todos, que todos os atos sejam justificados por um desejo, ate os atos mais premeditados e os mais covardes, é tão mais fácil culpar o acaso, comprovar na ciência e se limitar nas personalidades, sempre fala que um erro não justifica outro, mas será que um choro justifica o egoísmo?Tanto egocentrismo, tantas mentiras, o impulso pode causar feridas, mas a falsidade causa ferimentos ainda maiores, a revolta pode causar briga, mas a inveja é capaz de causar separação.



Escrito por Iuri às 18h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Talvez

 

Lendo alguns antigos textos, vi que a palavra que mais aparece neles, é a palavra talvez, sempre acompanhada com algum não sei, e finalizada com um vamos ver no que dá,talvez,ai,olha a palavra ai de novo,mas tudo bem,talvez eu nunca saiba o que vai acontecer ou que ta acontecendo,ou talvez,eu nunca quero dar essa certeza para mim mesmo,eu tenho medo de certezas,tenho medo de conclusões,ou as vezes não minha certeza,mas a certeza que o mundo te dá,as certezas que vivem sendo jogadas para você,e você não tem nem chance de argumentar o que acha,eu não quero isso,eu quero estar aberto as novas duvidas,a novos olhares e a nova vida,não quero me fechar em um mundo que tem suas verdades absolutas impostas e que jogam a gente contra a parede,o talvez é só um pé atrás no mundo em que conclusões nos abraçam nos amam e nos descartam como um simples engano.

 



Escrito por Iuri às 15h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ouso em todos os Anos

 

Faço planos

Sem plano

Sem plena certeza

Embaixo dos panos

 

 

Aeroplano

Pousa

Sonho em repouso

A vida pausa

Fantasia em aplauso

 

 

 

Sem planos

Com plena certeza

De viver em plano

E sobre os panos



Escrito por Iuri às 00h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O começo

 

 

 

 

Eu não sei por qual motivo as pessoas começam a escrever,talvez tristeza,melancolia,ou apenas uma válvula de escape mesmo,mas eu comecei a escrever por amor as mulheres, mas não esse amor que todo garoto tem por uma menina,eu quase sempre acho que um cara nunca ama uma mulher de verdade,o ser mulher sabe?ele ama o corpo da mulher,mas ele não ama seus gestos,ele ama o que ela pode fazer com ele,mas não ama suas manias,enfim quando escrevi minha primeira poesia,rimando dor com amor,claro,por que todo poeta se assim pode dizer,tem que ter uma poesia rimando dor com amor,quando escrevi essa primeira,vi que os olhos da minha mãe brilharam e que ela se derreteu como manteiga,ao ver aquilo com um 11 anos de idade,percebi que seria uma boa maneira de conquistar as mulheres,e como fui sempre fui tímido,seria uma boa tática para derreter outros corações,daí não parei mais de escrever,lembro da minha primeira tentativa,fiz a poesia,coloquei muitas promessas,não qual acho que nunca poderia cumprir na época,como fugir com ela só nos dois.como assim eu tinha 12 anos,coloquei também que por ela eu era capaz de enfrentar o mundo,sendo que eu não era capaz nem de enfrentar o Fernando,que era o garoto mais forte da escola,e o mais alto,e como sempre fui baixo,preferia não encará-lo, então depois de ter escrito todo esse amor no papel,me levantei da minha carteira e deixei embaixo da dela,aonde se guarda o material,ela não estava sentada lá,estava ajudando a professora a passar a matéria,ta pensando o que?todos meus amores foram intelectuais.

 

continua..

 



Escrito por Iuri às 17h21
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Impar

 

 

Eu não estou a par

Mas também não estou em par

Nem de seu sorriso impar

Nem das suas palavras de paz

 

Em parte

Dá-se por ser impartível

Seu gesto

Com minhas intenções

 

Em par com ti

Impar da solidão

A par do amor

Impar da loucura

 

Par

Impar

 

Impar

Par

 

Em par com as palavras.

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por Iuri às 17h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Do capricho ao relaxo

 

 

 

Do capricho

Ficou o charme

O charme das flores e dos cachecóis

Do batom e dos óculos

 

 

 

O capricho se foi

Aos relaxos do tempo

Aos relaxos do sonho

Aos relaxos das cartas mal escritas.

 

O charme ainda esta no perfume

Nas unhas bem feitas

E no cheiro do chá de camomila

 

 

 

Talvez muita intimidade seja o capricho

A convivência um charme

E a rotina um relaxo

 

 

 

 



Escrito por Iuri às 23h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Cantiga de olhar

 

É bom se observar no olhar de uma pessoa especial,mas não só pelo reflexo que você consegue se enxergar,mas pelo valor que ele te passa,como ele consegue te enquadrar,e te guardar,como ele te coloca para descansar,descansa sua alma,descansar em sua íris,como ele te protege quando se fecha,e de como  ele te faz despertar quando se abre novamente,ele consegue nos recolher tão bem,que não imagino outro lugar que ficaria tão seguro,e mesmo que venha algum vento o incomodar,algum cisco de tristeza ou ate mesmo que eu caia dali como lagrima,se eu me deitei em seus olhos,é por que sempre dormirei em sua alma.

 

 



Escrito por Iuri às 02h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




E o próximo instante eu sei, é quase lá.

 

Eu nunca quero estar aqui, não digo nesse espaço fechado diagramado com textos e formas nada objetivas, eu digo o físico, nunca quero estar no momento em que estou, sempre penso no próximo instante e no lá, penso vida como conseqüência, amor como lembranças e perda como abstinência, mas não consigo fugir do que veio a encalhar, as mesmas palavras mortas vêm reencarnar no mesmo coração fraco, elas reencarnam, mas não como outrora, mas sim para me esvaziar, e mesmo as palavras não achando lugar, elas permanecem ate que em um ato de desespero eu as ignoro e as envio novamente ao um lugar que eu pensava que era um eterno sono,são defeitos fundamentados, e crises populares de uma vida sistematizada.

 



Escrito por Iuri às 17h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Aquele homem não era eu!

 

Aquele Sobel, não era eu, essa foi uma das frases  ditas pelo mesmo, ou não. (?), em uma das entrevistas ao tentar se defender de um possível crime, sim Sr. Sobel, aquele ate pode não ter sido o senhor, mas aquelas gravatas também não eram suas, ou elas eram suas gravatas quando o senhor acreditava que não era o senhor?.

Gravatas, Rabino e confusão, já não sabemos o que é o que,e quem é quem, eu sei só sei que hoje em dia,furto não é crime e sim loucura. Então a loucura tem perdão e o crime não?Melhor estudar  o Judaísmo.



Escrito por Iuri às 19h02
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Tantos

De tantos “se” o sorriso ficou no “mas”
E o Beijo ficou na incerteza
De tantos “sim” e “não” a saudade ficou no tempo
E o abraço ficou nas horas.

As conversas ficaram nas duvidas
A tristeza ficou no poxa
De tantas manias,as risadas ficaram no mal entendido
E a felicidade no pensamento

De tantos “para” o toque ficou no vão
A intenção no vazio,e minha palavra no silencio

De Tanto passado, o presente simplesmente não ficou.



Escrito por Iuri às 18h11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Meu Corpo

 

Meus olhos devem ter alguma mensagem subliminar que minha alma não entende, e meu coração é somente uma metáfora mal usada e colocada para aquilo que realmente se chama sentir,minha linguagem é muita para o pouco que falo,e meus verbos são poucos para o muito que me entrego,mas digo e repito,a simetria não esta em combinar razões e sentimentos,esta em dar e receber,esta nas cartas correspondidas e nas mãos dadas.Talvez meus pés não pisam em superfícies,mas sim em superficialidades,e talvez bem talvez, meus braços só são avais,para sonhos,e minhas costas é meu passado,mas nunca consegui dar um passo maior que ele,e mesmo que eu der,ficara para trás meu Aquiles e todos os pontos fracos que o acompanham.

 

 

 

 



Escrito por Iuri às 16h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Foges de mim.

Ela foge de todos os padrões de beleza, já estabelecidos, para se enquadrar no meu: simples e bela, meus sentimentos fogem de todas as cartilhas já feitas para o amor, e seus conselhos não são aqueles já conhecidos em livros de auto-ajuda,e claro os adjetivos que tinha a ela,fugia de todos os dicionários,fugia também dos conceitos que a julgavam perfeita,perfeita não era,mas era simples e bela,como já diria,mas o que mais me atormentava,é que também fugia de mim.

Escrito por Iuri às 23h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Eu sei é tudo sem sentido.

 

Hoje descobri que o meu penar, é simbólico demais para entender.

Que minhas superstições eram devastas desculpas para eu não enxergar o destino.

Que o acaso era metamorfose, sempre se transformando em novas paixões, e que o tempo não faria tanta diferença se realmente fosse amor.

Descobri que tenho náuseas de saudade, e que o que eu sempre achava que era felicidade, era apenas atenção. E que toda restrição e regras,são abastecidas pelo medo.

Que a rotina é pretensão da vaidade, embora a vaidade sempre seja traída pelo egoísmo.

Descobri que o que nos guia é apenas idéias ilusórias de que ficar parado seja pior

E que as risadas quase sempre são pra disfarçar algum rancor, causada pelas risadas dos outros. Só hoje descobri que tentar viver com alguém do lado,é admitir que somos mais só do que pensamos.Que não há instruções para ser sincero,e que toda essas bobeiras são ditas quando estamos todos inertes a carência.E estar inerte a carência é estar de braços abertos as condições impostas pelo amor,por pior que sejam.

 

 

 



Escrito por Iuri às 22h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Seja Feita.

 

Não quero rotular coisas, muito menos nomear sentimentos.

Que o meu viver, seja inominável, o que possa sentir seja desconhecido, desconhecido de todos os clichês já vividos, que o sabor que ainda tenha na boca, não seja fácil de colher, e que todas as mentiras sejam postas na mesa, para que com cada gole de bebida, ela seja ignorada e menosprezada pela culpa.

Que meu próximo lar, seja firme, e resistente às lembranças, quero resistir a todas elas, que a vida se renove a cada ato de impulso, para que eu não tenha mais a quem chorar.

Que o sofrer, não esteja ligado à perda, mas sim a gloria de chorar.

Mas também não quero ser indiferente à vida, mas ser diferente a dor, que todos os meus passos possam mostrar conhecimento, e que todas minhas palavras aprendizado.

Que meus dias não sejam tão vulneráveis aos seus sentimentos, e que a lucidez não esteja só em meus planos.

Por fim que eu não tenha só intenções, mas eu que seja feito de vontades e ações, que eu não seja feito só de sorriso, mas de algo que não possa prever.



Escrito por Iuri às 22h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  Retratos em Palavras
  Inutilia Truncat
  Strange little girll
  As próximas horas serão muito boas
  Clube do arrois
Votação
  Dê uma nota para meu blog